BIODIVERSIDADE

A ilha do Príncipe, classificada em 2012, pela UNESCO, juntamente com os seus ilhéus, como Reserva Mundial da Biosfera acolhe elevada biodiversidade nativa, tanto em ecossistemas marinhos, como terrestres. Florestas tropicais primárias, florestas de sombra, florestas de palmeiras, habitats ripários de baixa altitude, habitats de reprodução de tartarugas e aves marinhas, cetáceos, e florestas de corais fazem desta região um hotspot de biodiversidade e um local de grande interesse de conservação global.

Mais de 50% das espécies de morcegos, aves, anfíbios e moluscos presentes na ilha do Príncipe são endemismos. 

Tordo-do-Príncipe
Ilustração Pedro Mendes

A recente descoberta de oito novas espécies de árvores sublinha o potencial de outras espécies de flora vascular poderem estar ainda por descobrir, dentre as quais plantas com características medicinais. Contudo, antes mesmo do mapeamento completo da biodiversidade florística da ilha do Príncipe, análises preliminares da Lista Vermelha apontam já para a vulnerabilidade de algumas destas.

Também os artrópodes conterão um acervo ainda desconhecido altamente diverso, representando um desafio formidável para taxonomistas e gestores de áreas protegidas.

ORALIDADE

Nos contos e lendas tradicionais santomenses, as personagens animais constituem um elemento de extremo relevo, personificando as virtudes e os defeitos dos humanos. No entanto, desconhecem-se trabalhos que cruzem este património tradicional com as entidades vivas que serviram de inspiração ou metáfora à mensagem cultural e, por outro lado, as espécies personagem são, na sua extensa maioria, não endémicas.

Na forma escrita, parecem não abundar os registos de contos tradicionais santomenses e no contexto da ilha do Príncipe, a disponibilidade de registos publicados aparenta ser ainda mais escassa e as referências a espécies endémicas praticamente inexistentes.

Ocá
Ilustração Pedro Mendes
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now